bem vindo

Depois de uma grave doença que me levou a ser operado três vezes ao intestino, duas quimioterapias e interrompido a minha profissão há dois anos. Eis que me vejo com mais tempo para assumir um hobby que sempre me fascinou.
Sempre tive animais em casa e quando da sua ausência, havia sempre um vazio nostálgico que não fazia sentido. Por isso, tenho um cão ( shi tzu );Uma tartaruga; uma iguana; três aquários (outros em projecto); varios exóticos (aves) e claro os adoráveis (para mim,...para os outros...nem tanto) periquitos, que fazem sempre as delícias dos "pequenos" e todos os que nos visitam. Aliás, um dos objectivos de sensibilização e respeito para com os animais e natureza que faço questão de incutir e terá com certeza a efeitos didácticos e pedagógicos para com os meus filhos. Pois acredito que com estas pequenas coisas, podemos aprender a valorizar mais a nossa vida e a dos outros, apesar de ás vezes a natureza nos parecer cruel é notável o esforço pela sobrevivência e equilíbrio na interacção com o meio que nos rodeia.
Sou sócio recente da SPO (sociedade portuguesa do ondulado) e o meu "stam" é 865 - L (número de criador). Pretendo assim desenvolver este hobby e divulgar (não sou expert em informática) neste blog, já que constatei estar pouco divulgado e mais atrasado (talvez por modas) em relação a outras actividades como canarícultura por exemplo.
Os artigos aqui publicados por mim, não deverão ser encarados como regras básicas, infalíveis e cientificas nem pretendo ensinar nada a ninguém, pois não estou habilitado para tal. As edições têm um carácter puramente amador.

domingo, 17 de abril de 2011

A ORIGEM



        O periquito ancestral é nativo da Austrália onde se movimentam em grandes bandos (daí o seu carácter social vincado), nas regiões áridas e semi - áridas das savanas do interior, percorrendo grandes distâncias em busca de alimento e água, caracterizam o seu comportamento nómada.
                         
   
      Após as chuvas sazonais que proporcionam um aumento de alimento, (gramíneas) fixam - se nas zonas arborizadas e copas dos eucaliptos, dado à sua cor verde original que facilita a sua camuflagem (embora por vezes surgem mutações de outras cores, não se conseguem fixar porque tornam - se presas fáceis), procuram buracos das árvores velhas para nidificar.


   
        Põem entre 3 / 7 ovos em dias alternados que serão incubados em cerca de 18 dias. O periquito ancestral mede cerca de 19 cm da cabeça à ponta da cauda e pesa cerca de 35g, em cativeiro tem uma esperança de vida de cerca 8/10 anos. São monógamos e raramente trocam de parceiro.
  O dimorfismo sexual é simples e facilmente distinguido pela cor da membrana que cobre a parte superior do bico localizadas nas narinas, chamada “cera” que no macho é azul e na fêmea castanha, embora seja menos notória nas aves jovens e em algumas mutações como malhados recessivos, albinos e lutinos



   Apesar do seu carácter dócil, sociável e extremamente domesticável, associado c/ beleza e cores que os levou a grande popularidade, não gostam de ser agarrados, podendo deferir fortes e dolorosas bicadas. Para evitar isso devem ser agarrados da seguinte maneira: Envolvendo a ave c/ a mão em forma de concha e fixar gentilmente (não estrangular) a cabeça no meio dos dois dedos (indicador/médio) como mostra a figura:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.