bem vindo

Depois de uma grave doença que me levou a ser operado três vezes ao intestino, duas quimioterapias e interrompido a minha profissão há dois anos. Eis que me vejo com mais tempo para assumir um hobby que sempre me fascinou.
Sempre tive animais em casa e quando da sua ausência, havia sempre um vazio nostálgico que não fazia sentido. Por isso, tenho um cão ( shi tzu );Uma tartaruga; uma iguana; três aquários (outros em projecto); varios exóticos (aves) e claro os adoráveis (para mim,...para os outros...nem tanto) periquitos, que fazem sempre as delícias dos "pequenos" e todos os que nos visitam. Aliás, um dos objectivos de sensibilização e respeito para com os animais e natureza que faço questão de incutir e terá com certeza a efeitos didácticos e pedagógicos para com os meus filhos. Pois acredito que com estas pequenas coisas, podemos aprender a valorizar mais a nossa vida e a dos outros, apesar de ás vezes a natureza nos parecer cruel é notável o esforço pela sobrevivência e equilíbrio na interacção com o meio que nos rodeia.
Sou sócio recente da SPO (sociedade portuguesa do ondulado) e o meu "stam" é 865 - L (número de criador). Pretendo assim desenvolver este hobby e divulgar (não sou expert em informática) neste blog, já que constatei estar pouco divulgado e mais atrasado (talvez por modas) em relação a outras actividades como canarícultura por exemplo.
Os artigos aqui publicados por mim, não deverão ser encarados como regras básicas, infalíveis e cientificas nem pretendo ensinar nada a ninguém, pois não estou habilitado para tal. As edições têm um carácter puramente amador.

domingo, 17 de abril de 2011

A ORIGEM



        O periquito ancestral é nativo da Austrália onde se movimentam em grandes bandos (daí o seu carácter social vincado), nas regiões áridas e semi - áridas das savanas do interior, percorrendo grandes distâncias em busca de alimento e água, caracterizam o seu comportamento nómada.
                         
   
      Após as chuvas sazonais que proporcionam um aumento de alimento, (gramíneas) fixam - se nas zonas arborizadas e copas dos eucaliptos, dado à sua cor verde original que facilita a sua camuflagem (embora por vezes surgem mutações de outras cores, não se conseguem fixar porque tornam - se presas fáceis), procuram buracos das árvores velhas para nidificar.

sábado, 16 de abril de 2011

HISTORIA

                                                                 HISTÓRIA
     A primeira referência ao periquito data de 1781 numa ilustração «naturalists miscellany» por George Shaw, director do museu britânico das ciências naturais.
     Mas foi em 1840 que o naturalista John Gold conseguiu levar os primeiros periquitos vivos (alem de outras aves) para Inglaterra.